Translate

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Hattie McDaniel, a primeira atriz negra a ganhar o Oscar!

 
      No momento em que muito se discute sobre a falta de diversidade no Oscar, eis uma mulher do cinema para todo mundo conhecer: Hattie McDaniel, a primeira negra a ganhar o prêmio, em 1940.
      Na época, o cenário era ainda pior: McDaniel recebeu o Oscar em um hotel que sequer permitia a entrada de negros.
      Esta história é contada em uma ótima reportagem da revista “The Hollywood Reporter”, que retoma a carreira de McDaniel, conversa com seus familiares e relembra como foi o momento em que ela ganhou o Oscar de atriz coadjuvante por “E o Vento Levou…”.
      De acordo com a revista, o produtor do filme, David O. Selznick, teve de pedir um favor para conseguir que McDaniel entrasse no Ambassador Hotel, em Los Angeles, onde a cerimônia foi realizada. Mas ela não pôde se sentar junto dele e do restante do elenco de “E o Vento Levou…”, como Vivien Leigh e Clark Gable. A atriz ficou em uma pequena mesa no fundo do salão, junto com seu acompanhante, F.P. Yober, e seu agente, William Meiklejohn.

Diz a reportagem:

“Uma lista de vencedores vazou antes da cerimônia, então a vitória de McDaniel não surpreendeu. Ainda assim, quando ela recebeu a placa que era dada aos coadjuvantes, o salão ficou repleto de emoção, escreveu a colunista Louella Parsons: ‘Você teria ficado com a voz embargada como todos ficamos.’
Filha de dois ex-escravos, [McDaniel] fez um discurso gracioso: ‘Devo sempre manter [o prêmio] como um farol para qualquer coisa que eu possa fazer no futuro. Espero sinceramente que eu possa sempre ser um ganho para a minha raça e para a indústria do cinema.”


      McDaniel nasceu em 1895, no Estado americano do Kansas. Com irmãos atores, começou a se apresentar em clubes e estreou no cinema em 1932. O primeiro papel creditado foi em “Judge Priest”, de 1934. A fama veio cinco anos depois, com “E o Vento Levou…”, no qual interpretou Mammy, a escrava que cuida de Scarlett O’Hara.
      O Oscar não foi capaz de diversificar os papéis de McDaniel. De acordo com o Hollywood Reporter, a atriz interpretou domésticas em 74 de 94 trabalhos listados no Imdb. Por isso, foi criticada por muitos negros, que a acusavam de reforçar estereótipos.

“Ela teve de aguentar perguntas da comunidade branca e da comunidade negra”, disse Mo’Nique, que homenageou McDaniel quando ganhou seu Oscar, em 2010, por “Preciosa”.

      No fim dos anos 1940 McDaniel fez sucesso em um programa de rádio, “Beulah” – o primeiro dos EUA a ser protagonizado por uma mulher negra. Morreu em 1952, aos 57 anos, de câncer de mama.

Seu último desejo foi ser enterrada no Hollywood Forever Cemetery, como várias estrelas de Hollywood, mas o pedido foi negado por ela ser negra. Em 1999, a família conseguiu que um memorial em sua homenagem fosse colocado no local. 
 

O MUNDO CONECTADO COM O LIVRE DA CAVERNA